Power Rangers Hyper Force Reviews

Shattered Grid começa em Power Rangers Hyperforce com história sombria e empolgante

quarta-feira, março 14, 2018Mega Power Brasil


Se tem uma coisa que está deixando os fãs de Power Rangers contando os segundos é a espera pelo começo de Shattered Grid, o mega-evento dos quadrinhos da Boom Studios.

Para nossa felicidade, tivemos o privilégio de ter o arco começando mais de uma semana antes do esperado.

Texto por - Freddy Pavão

O que acontece é o seguinte, a saga começa nos quadrinhos em si no dia 28 de Março, e até semana passada, com exceção do prelúdio que tivemos na edição 24 de Mighty Morphin Power Rangers, só teríamos algo envolvendo a trama nesse dia. Eis que no episódio 18 de Power Rangers Hyperforce tivemos a feliz confirmação de que no episódio 19 (que foi ao ar ontem, 13/03) teríamos os Hyperforce Rangers entrando nos eventos de Shattered Grid.

Não sabe o que é SHATTERED GRID? Clique aqui para saber mais.

Como estava a mesa?

Pra começar, esse episódio foi ligeiramente diferente. Ao invés de termos Malika Lim mestrando a partida, como acontece desde a estreia da temporada, tivemos Zac Eubank (o chefão do Hyper RPG) assumindo a cadeira de Mestre, enquanto Malika estava na mesa de jogo, como um personagem misterioso até então. Junto dela e dos jogadores da mesa estava ninguém menos que Kyle Higgins, o roteirista por trás de Mighty Morphin Power Rangers da BOOM Studios!

Da esquerda pra direita: Andre Meadows (Hyperforce Blue), Malika Lim, Kyle Higgins e Paul Shrier (Hyperforce Yellow).

Nada mais justo, né? Toda a trama de Shattered Grid sai da mente de Kyle! Ele não serviu só como um jogador no episódio de ontem. Ele também estava lá para assegurar que os eventos do episódio seguissem um rumo junto com os que está por vir nos quadrinhos, já que em uma partida de RPG as coisas às vezes podem tomar um rumo completamente diferente do planejado.

Só o fato de ter o roteirista no meio de todo o episódio mostra uma coisa muito legal. A preocupação que o universo expandido de Power Rangers está tendo de andar de mãos dadas em suas múltiplas mídias, sejam elas quadrinhos, partidas de RPG, ou qualquer coisa que possa vir.

Durante o Fireside Chat, bate papo que rola depois da partida, Kyle confirmou esse cuidado com a seguinte frase: "Me empenhei, junto com o Zac, para fazer a aventura do episódio de hoje encaixar com os eventos dos quadrinhos, para que nada se contradiga".

A Trama

Seguindo os eventos do episódio 18, onde a equipe teve tiveram que enfrentar a Armada, em um episódio que culminou no meio da Batalha Lendária de Super Megaforce, os Rangers se veem caindo em um local que até os primeiros momentos era um mistério.

Assista nossos reviews de Hyperforce no canal, clicando aqui.

Alpha 55 se mostrava extremamente confuso em relação a onde e quanto eles estavam. A última vez que o clima ficou assim foi quando a equipe caiu em Corinto, no universo alternativo dos eventos de RPM. O mistério fica no ar por uns minutos, até que, depois de muito a cabeça, a equipe chega à conclusão que eles estavam novamente em Newtech City, a cidade de Power Rangers SPD… mas uma Newtech City diferente.

A trama vai se desenrolando, os Rangers vão tentando tirar informação de onde dá. A alternativa mais sensata parecia ser encontrar algum Ranger dali e pedir ajuda.

Em dado momento Marv, o Ranger Vermelho, chega a pedir para Alpha 55 passar uma varredura de energia para tentar encontrar algum Ranger ligado à Rede de Morfagem. Os sinais nunca estiveram tão loucos. Eles tinham conseguido puxar alguns dados que pareciam com as leituras associadas aos Rangers de Mighty Morphin, mas algo não parecia certo… E então os Rangers encontram de onde vem essa energia. Um Ranger Preto, muito parecido com Zack… ou seria Adam? Nenhum dos dois, o Ranger misterioso era um Sentinela Mastodonte do exército de Lord Drakkon! A nave Hyperforce estava no pior lugar possível, na pior hora possível… Eles estavam na realidade devastada de Drakkon!

Os sentinelas Mastodonte de Lord Drakkon, vistos primeiramente nos quadrinhos da BOOM! Studios
- Foto: Reprodução internet

As tentativas de argumentar com o Sentinela levam à cenas pesadas, onde tínhamos Eddie (Ranger Amarelo) sendo rendido, com uma arma apontada para ele. Não uma arma típica de um monstro ou de um outro ranger, mas sim uma arma de calibre militar. Os vilões do episódio não estavam de brincadeira.

Isso inclusive foi um ponto alto do episódio 19. O clima. Normalmente as partidas acontecem num clima super descontraído. Onde temos o monstro da semana, a trama, mas sempre tem aquele momento mais leve. Pois é. No episódio de ontem não houve praticamente nenhum momento leve! Tudo, das falas dos personagens, até a música de fundo que fica tocando durante a partida, trazia um clima de inquietação, mistério e aquela sensação de “vai dar ruim em algum momento”.

Foi justamente nesse clima de insegurança que em dado momento nossa equipe se encontra com o que parece ser o último bastião de segurança nesse mundo devastado - parte do exército dos sem moeda, o grupo rebelde que luta contra Drakkon.

A base dos Sem Moeda vista também nos quadrinhos - Foto: Reprodução internet

Hicks, que foi interpretado por Kyle Higgins, serviu quase como uma enciclopédia para situar a equipe nesse mundo louco que eles estavam. Ele pergunta para os Rangers se eles já ouviram falar de Tommy Oliver, e a equipe diz que sim, que teve o prazer de lutar ao lado dessa lenda (Eles visitaram o mundo de Dino Trovão em um dos episódios), felicidade que dura pouco quando descobrem que o responsável pelo mundo estar como está é justamente uma versão de Tommy que deu errado.

Hicks em dado ponto mostra ter conhecimento sobre o Tommy da realidade “normal”, falando sobre todos os mantos que ele teve ao longo das eras. E explica que também já teve o privilégio de conhecer esse Tommy, contando para a equipe o que lemos em Mighty Morphin Power Ranger #13 e #14, onde Tommy e Billy ajudam os Sem Moeda a derrotar Drakkon. Para o desespero de todos essa derrota havia sido temporária, já que tudo indicava que Drakkon havia retornado, evocando aí os acontecimentos do prelúdio de Shattered Grid, na edição #24 do quadrinho.

Junto a Hicks estavam mais dois personagens. Fidget, interpretado por Zac (Mestre do Jogo), o ajudante meio maluco de Hicks, que serviu como um leve alívio cômico, e ajudou a equipe a armar parte dos planos. E a personagem misteriosa de Malika (A mestre original de Hyperforce), se revelou como Coronel Song, braço direito de Hicks nesse núcleo do exército dos Sem Moeda.

Esboço dos personagens Fidget e Hicks, desenhado por Peter Sudarso - Foto: Reprodução Twitter

Um ponto interessante é que essa personagem de Malika é uma versão do Mundo de Drakkon de uma outra personagem que foi inserida no cânone de Power Rangers em Hyperforce, Lina Song, a nova Ranger Verde de S.P.D., que assumiu o manto depois que Bridge subiu de cargo. Basicamente tivemos o mundo dos quadrinhos fazendo uma versão de uma personagem de Hyperforce. Isso prova como a transmídia em Power Ranger vem sendo usada de forma incrível. É legal demais poder presenciar isso!

Lina Song, arte digital por @Listenanyway

A trama vai se desenrolando, com os Rangers tentando se infiltrar no exército de Sentinelas de Drakkon, mas algo parece estar prendendo eles a não conseguir executar os planos direito. Nessa hora as pessoas que estavam assistindo (eu incluso) começaram a suspeitar que Fidget seria um infiltrado de Drakkon, já que ele estava sendo interpretado por Zac, o mestre da partida, que estava se empenhando bastante a destruir os Rangers.

Em dado ponto da trama a Coronel Song consegue contactar outro núcleo dos Sem Moeda, e descobre que de fato tinha um infiltrado entre eles. E junto dessa informação vem a bomba que Hicks estava desaparecido há meses! Para a surpresa de todos quem se revelou como o infiltrado não foi Fidget, mas sim Hicks, que estava servindo como guia da equipe desde o começo do episódio!

Mas quem ele era afinal? Ninguém menos que a versão desse universo da Abóbora do Rap!
Nessa hora tivemos um leve clima de descontração pois Kyle Higgins, que estava interpretando Hicks o tempo todo, começa a falar em versos de Rap, chegando a ter uma batalha de improviso com Eddie, o Ranger Azul (que foi de improviso MESMO, com Andre Meadows criando os versos na hora!)

Novamente alinhado com os quadrinhos, a inserção da Abóbora do Rap como o vilão principal desse episódio serviu para matar a curiosidade de quem leu as HQs. Na edição #12 vemos a Abóbora no meio de vilões maiores, enfrentando os Rangers antes da tomada de Drakkon… mas porque ela em especial? Não é como se ela fosse um vilão tão importante. Por que ela estava naquele meio? E o que afinal ela tratia pra trama? Bem… nós descobrimos isso ontem.

Abóbora Rap foi importante na conquista do mundo de Lord Drakkon - Foto: Reprodução internet

A luta com a Abóbora do Rap é o climax do episódio. Nela descobrimos alguns elementos chave de Shattered Grid. No meio do confronto com o vilão (para a surpresa de todos os jogadores incluindo o Mestre da partida) Kyle Higgins explicou que Finster 5, o fiel ajudante de Drakkon, colocou em cada um dos monstros um dispositivo de crescimento próprio, onde eles podem se tornar gigantes sem a ajuda de Rita, por exemplo.

Finster Five, o ajudante de Lord Drakkon que irá aparecer nos quadrinhos - Foto: Reprodução internet

É justamente o que acontece. O vilão fica gigante e é confrontado pelos rangers, usando os Zords individualmente. Para o desespero de todos a luta não termina bem. A Abóbora decide se autodestruir para causar um dano massivo em todos. E quando digo todos são todos mesmo. A área é devastada pela explosão, ferindo os rangers, a Coronel Song, Fidget e até mesmo os próprios Sentinelas de Drakkon!

O episódio então chega ao fim repentinamente e descobrimos então que essa aventura não passou do começo de um mini-arco dentro de Hyperforce, que continuará semana que vem com a presença de ninguém menos que Jason David Frank encarnando o próprio senhor da maldade Lord Drakkon ao vivo! Não precisa nem dizer que a internet foi a loucura na madrugada de hoje quando a notícia foi revelada ao fim da partida, né?

Considerações Finais

O episódio em si foi maravilhoso. As jogadas da galera estavam super alinhadas e a atuação dentro de cada personagem. Zac dá um show como Mestre, ele faz questão de descrever cada detalhe de cenário e ao mesmo tempo que ajuda a trama a ir pra frente ele faz questão de ser extremamente maldoso com as jogadas. O mundo de Drakkon é um lugar que o mal prevaleceu. Nada mais justo do que termos um mestre de jogo que sabe ser igualmente “mal” na hora de criar uma situação na partida.
A adição de Kyle Higgins a mesa foi um toque de gênio. Ele ajudou a alinhar o tom de Hyperforce com o tom mais sério das HQs da Boom Studios. Em dado momento do bate papo pós-partida ele disse o seguinte sobre os quadrinhos:

"Eu escrevo os Power Rangers não exatamente como eles eram no programa nos mínimos detalhes. Eu escrevo eles como eles faziam eu me sentir na época que eu assistia".

Foi exatamente isso que aconteceu no episódio de ontem. Kyle ajudou a passar pra gente a mesma euforia que tínhamos ao assistir um episódio bombástico pela primeira vez quando éramos crianças e tudo era novidade. Ele ajudou a fazer todo mundo que estava assistindo ficar boquiaberto com cada elemento novo sendo apresentado, e isso foi fantástico de se ver!

O que fica pra semana que vem é um misto de empolgação, por estar vendo o cânone de Power Rangers crescer diante de nossos olhos, e de medo por termos um vilão tão poderoso enfrentando a equipe. Os dados podem ser traiçoeiros e o pior pode acontecer… Mas bem, isso a gente só vai saber semana que vem.

Mais do nunca a frase “Que o Poder o proteja” vai ser oportuna… E tomara que ela proteja mesmo. Porque todo mundo vai precisar!

Você também pode gostar

1 comentários

  1. FOOODA DEMAIS!!!!!! Preciso correr pra me atualizar em Hyperforce!!!

    ResponderExcluir